TIMIDEZ NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS: Superá-la pode auxiliar e acelerar o processo de aquisição da língua inglesa.

Costumo dizer que aprender línguas não é como aprender matemática, que envolve uma postura mais passiva e estática ( a não ser que o objetivo seja ser professor); muito pelo contrário, estudar um novo idioma te coloca numa posição de confronto consigo mesmo, te evidencia numa situação social… em outras palavras: TE EXPÕE. Portanto, ressalto que, se você assume a decisão de APRENDER INGLÊS, é preciso encarar e transgredir uma barreira: a timidez. Quando esta é mais intrínseca, a inibição pode comprometer, pelo menos, o ritmo do aprendizado. Um língua se constrói através de vivências e trocas sociais e, quanto menos se expõe (por medo de errar), menos oportunidades terá de viver tais experiências.

Eu, como professora, já experienciei situações em que foi necessário superar a timidez: reuniões de pais, workshops para outros professores, os primeiros dias de aulas, que sempre dão um frio na barriga. Então vamos lá, coragem! Vou listar algumas dicas de incentivo para você, aluno (a), que se sente tão desafiado(a) e confrontado(a) nesse processo:

-O erro é fundamental. Parece cliché, mas é através dele que o professor percebe suas dificuldades e traçará uma plano para lhe ajudar nisso.

-Respire fundo! Peça um tempo! Professores sabem que alunos(as) (principalmente em estágios iniciais) demandam tempo para elaborar e construir o pensamento em inglês. Não há necessidade de ficar constrangido com o silêncio.

-Estude! Esteja imerso(a) nesse mundo. Sabemos que a segurança e autoconfiança podem ser alcançadas por conhecimento. Então, dedique-se: quanto mais proximidade tiver com a língua, mais chances terá de sentir-se confiante numa situação inesperada.

-Pratique em casa. Ensaie, fale consigo mesmo(a)! Repita a frase mentalmente, depois na frente do espelho. Ou faça uso de um amigo ou familiar que tenha mais intimidade com o idioma. 😉

-Por fim, não esqueça da sua meta! Por que você está estudando inglês? Isto deve sempre ser mantido em mente para que possa persistir no seu objetivo e para que não deixe de tentar.  Mesmo com erros, mesmo com uma pronúncia equivocada. Mais um cliché verdadeiríssimo: o importante é tentar!

 

Samea Eça é Professora de inglês e

Professora Pedagoga.
Post original em: https://teacher-samea.webnode.pt/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.